terça-feira, 7 de maio de 2013

Salmo 142, 1-11


Ouvi, Senhor, a minha oração,
Pela vossa fidelidade, escutai a minha súplica;
Atendei-me, pela vossa justiça.
Não chameis a juízo o vosso servo.
Porque ninguém é justo diante de Vós.

O inimigo persegue a minha alma,
Lançou por terra a minha vida.
Atirou comigo para as trevas,
Como se há muito tivesse morrido.
Quebrantou-se-me o ânimo,

Recordo os dias de outrora.
Medito em todas as vossas obras
E considero as maravilhas que operaste.
Estendo para vós as minhas mãos;
Como terra sem água, a minha alma tem sede de vós.

Ouvi-me, Senhor, sem demora,
Porque se apaga a minha vida.
Não me escondais a vossa face:
Seria como os que descem ao sepulcro.

Fazei-me sentir, desde a manhã, a vossa bondade
Porque em vós confio.
Mostrai-nos o caminho a seguir,
Porque a Vós elevo a minha alma.

Livrai-me dos meus inimigos
Porque em Vós ponho a minha esperança.
Ensinai-me a cumprir a vossa vontade,
Porque sois o meu Deus.

O vosso espírito de bondade
Me conduz por caminho recto.
Por vosso nome, Senhor, conservai-me a vida.
Por vossa clemência, tirai da angústia a minha alma.

Sem comentários: