segunda-feira, 25 de março de 2013

Sede de Deus


2 Como suspira o veado pelas correntes das águas, *
assim minha alma suspira por Vós, Senhor.
 3 Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: *
Quando irei contemplar a face de Deus?

 4 Dia e noite as lágrimas são o meu pão, *
enquanto me repetem todo o dia: †
«Onde está o teu Deus?».

 5 A minha alma estremece ao recordar, *
quando passava em cortejo para o templo do Senhor,
entre as vozes de louvor e de alegria *
da multidão em festa.

 6 Porque estás triste, minha alma, e desfaleces? *
Espera em Deus: ainda O hei-de louvar, †
meu Salvador e meu Deus.

 7 A minha alma está desolada: *
no vale do Jordão e do Hermon e no pequeno monte †
me lembro de Vós.
 8 Abismo atrai abismo no fragor das águas revoltas; *
vossas torrentes e vagas passaram sobre mim.

 9 De dia mande-me o Senhor a sua graça, *
de noite canto e rezo ao Deus da minha vida.

10 Digo a Deus: Sois o meu protector, †
porque Vos esqueceis de mim? *
Porque hei-de andar triste sob a opressão do inimigo?
11 Quebram-se meus ossos quando os inimigos me insultam, *
ao repetirem todo o dia: †
«Onde está o teu Deus?».

 Porque estás triste, minha alma, e desfaleces? *
Espera em Deus: ainda O hei-de louvar, †
meu Salvador e meu Deus.

(salmo 41)

Sem comentários: