sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Pai-Nosso

Pai-Nosso que estás nos céus,
Tu que és muito maior  que este mundo
que estás em tudo o que é “céu”, que é alegria e vida verdadeira
Tu que és grande porque és Pai de todos
e todos somos Teus filhos
e que estás nesta Terra no coração dos homens de boa-vontade



Santificado seja o Teu nome,
que falem bem de ti, que te bem-digam
que Tu sejas conhecido como o Pai Bom que és
como aquele que recebe sempre os filhos 
mesmo quando tropeçam e se esquecem de ti
tu que queres que sejamos como Tu
um irmão para o irmão
um coração cheio de ternura, perdão e esperança para todos



Venha a nós o Teu Reino,
que não fechemos o nosso coração 
a todos os sentimentos de amor e de justiça comprometida,
que Jesus seja o “modelo” que nos atrai
e nos aproxima do sujo, feio, maltrapilho e fraco,
mesmo que nos custe,
e que nos ensina a encontrar a paz e a felicidade
porque acreditamos que só o Teu Reino, 
em que o outro passa à minha frente,
pode tornar este mundo uma casa para todos



Seja feita a Tua vontade assim na Terra 
como no céu

porque sabemos que esta Terra também é Tua 
queremos que se viva aqui como no céu
queremos que o Teu projecto seja realidade para todos
queremos que tu guies a nossa vida
e queremos ir onde nos levas e não onde iríamos por capricho

.
Dá-nos hoje o pão nosso de cada dia,
dá-nos o que precisamos e não mais do que isso
dá-nos a coragem de dar aos irmãos o que necessitam,
o nosso tempo, saber, atenção e palavras de esperança.

Dá-nos fome de espírito de justiça
fome de atenção para descobrir
a bondade do irmão e deste mundo.

Perdoa-nos as nossas ofensas
como nós perdoamos a quem nos tem ofendido,
tu sabes como somos, onde tropeçamos, 
quando pensamos antes em nós do que nos outros;
transforma o nosso coração distraído
e faz-nos pessoas que, antes de condenar tentam salvar
e acreditar na boa intenção do próximo



Não nos deixes cair em tentação,
não nos deixes andar atrás do que nos dá prazer e mais nada …
o consumo, a ciência sem coração, o poder do dinheiro
a instalação do mais fácil, a meia - mentira que engana
a falta de compromisso porque não vamos mudar nada…

Mas livra-nos do mal.  
livra-nos do mal, da cegueira de passar ao lado e não querer ver
da surdez de ouvir e não dar atenção
da dureza de não dar o braço a torcer quando pedem perdão
do orgulho que só olha para dentro de mim e esquece quem está fora
de alimentar sentimentos de rancor e divisão … que apodrecem, destroem

Sem comentários: