segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A Comunhão: Um combate de cada instante



O amor conduz à comunhão.
Na comunhão, cada um avança
ao ritmo dos seus irmãos.
Ela não é somente felicidade
que se goze passivamente;
alimenta o espírito fraterno ;
a todos abre a porta da fraternidade.
O amor propaga-se naturalmente.
É contagioso,comunica-se aos outros
e arrasta cada homem à comunhão.
Devo esculpir em mim esta máxima:
"A comunhãoé um combate de cada instante".
A negligência de um só momento
pode despedaça-la;
basta um nada;
um só pensamento sem caridade,
um preconceito obstinadamente conservado,
uma afeição sentimental,
uma orientação errada,
uma ambição ou um interesse pessoal,
uma acção realizada por si mesmo
e não pelo Senhor,
a vontade de retomar
o que já se abandonou,
o desejo da minha própria satisfação
que se sobrepõe ao desejode agradar ao Senhor.
Ajuda-me, Senhor, a examinar-me assim:
Qual é o centro da minha vida?
Tu e eu?
Se és Tu, agrupar-nos-às na unidade.
Mas se vejo que à minha volta,
lentamente, todos se afastam
e se dispersam,
este é o sinal
de que me coloquei a mim próprio no centro.

Sem comentários: